Taquicardia

Imagem
Grandma with granddaughter
grey
top_left
Off

Condições Saudáveis

O que é taquicardia?

Taquicardia é definida como uma frequência cardíaca alta com mais de 100 batimentos por minuto. Esforço físico, emoção ou estresse naturalmente aceleram o batimento cardíaco sem qualquer problema de saúde associado. Até determinado limite, o aumento da atividade cardíaca eleva o débito cardíaco, ou seja, o volume de sangue bombeado pelo coração é maior. Além deste limite, no entanto, a pulsação é muito rápida para preencher os ventrículos com sangue suficiente e o débito cardíaco é diminuído. A taquicardia só pode ocorrer nos átrios (as duas câmaras superiores do coração) ou apenas no ventrículo (as duas câmaras inferiores do coração). A taquicardia auricular em si não é uma ameaça à vida, mas tem consequências graves para a saúde e relacionadas a um alto risco de acidente vascular cerebral. Se a taquicardia auricular ainda é rítmica, é chamada de flutter atrial. Durante uma fibrilação atrial, a atividade das células do músculo cardíaco é arrítmica e caótica. Durante uma taquiarritmia ventricular, mais conhecida como fibrilação ventricular, as câmaras do coração ficam incapazes de se contrair. Elas perdem a capacidade de bombear o sangue devido à atividade elétrica irregular. A fibrilação ventricular provoca parada cardíaca em minutos e é uma das causas mais comuns de morte súbita cardíaca.


O que provoca taquicardia?

Inúmeras doenças do coração patologicamente podem acelerar a frequência cardíaca ou provocar arritmias. Dentre elas:

Além disso, alguns medicamentos, toxinas e outras doenças como o hipertireoidismo podem desencadear taquicardia.


Quais são os fatores de risco para taquicardia?

Aqueles com risco particularmente elevado de taquicardia incluem:

  • Idade acima de 60 anos.
  • Atletas
  • Pessoas com doença cardíaca não diagnosticada, particularmente distúrbios do músculo cardíaco.
  • As pessoas com um estilo de vida não saudável em geral: muito estresse, tabagismo, consumo excessivo de álcool, excesso de peso, falta de exercício.

As pessoas que já sobreviveram a um episódio de fibrilação ventricular estão no maior risco de fibrilação ventricular recorrente. Sem tratamento adequado, cerca de 40 por cento destes pacientes sofrem de fibrilação ventricular novamente dentro de dois anos após seu primeiro episódio¹.


Quais são os sintomas de taquicardia?

A taquicardia não explicada, autolimitada, sem sintomas adicionais pode ser inofensiva. No entanto, recomenda-se consultar um médico para realização de exames, porque o evento pode ter sido causado por um grave problema de saúde subjacente e arritmias podem piorar sem o tratamento adequado.
Se a frequência cardíaca acelera a mais de 100 batimentos por minuto permanentemente, você deve procurar atendimento médico. Você deve visitar um médico o mais rápido possível caso a arritmia seja associada a sintomas como tonturas, vertigens, falta de ar, ou uma leve pressão no peito. Sintomas como desmaios (síncope), dispneia, cólicas ou dores no peito indicam uma emergência que requer tratamento médico imediato


Como a taquicardia é diagnosticada?

 

Para diagnosticar a taquicardia, o médico deve saber sobre seu histórico médico. Pedem-lhe detalhes e em que circunstâncias a taquicardia e sintomas associados ocorreram. Ele vai ouvir os sons do seu coração e medir o seu pulso. Um eletrocardiograma (ECG) mostra a atividade elétrica do coração.
Para a terapia eficaz em longo prazo, é crucial que a causa subjacente da doença seja encontrada. Para este fim, diferentes testes e exames são necessários. Estes testes podem incluir exames de sangue, raios-X, ultrassom e/ou exame específico do sistema de vasos sanguíneos.
A taquicardia que raramente ocorre pode ser detectada por um ECG de longa duração. Além de monitores de Holter, existem dispositivos que podem ser inseridos sob a pele. Monitores cardíacos inseríveis são muito úteis para monitorar a atividade do coração por um longo período de tempo, até anos.


Como fornecer socorro em caso de emergência?

Em caso de fibrilação ventricular, uma ação rápida salva vidas. Se alguém perto de você, de repente, perde a consciência e não tem pulso perceptível, você deve realizar imediatamente o seguinte:

  • Ligue imediatamente para a equipe médica de emergência.
  • Depois de ter concluído a chamada de emergência imediatamente comece a massagem cardíaca e a respiração boca a boca até que o médico de emergência chegue.
  • Se um desfibrilador automático externo estiver disponível, então o use para interromper a parada cardíaca. Estes dispositivos são instalados em muitos locais públicos e seu manuseio é muito fácil mesmo para leigos. Instruções passo a passo fáceis de entender ajudam o socorrista a fornecer suporte básico de vida corretamente.

Clique aqui para saber mais sobre as opções de terapia para taquicardia.


1 ¹John et al. Cardiac Arrhythmia 3 Ventricular arrhythmias and sudden cardiac death. Lancet 2012; 380: 1520–29